Quais as opções terapêuticas no TEA?

Dando sequência ao outro post, vou falar um pouquinho sobre o que mais existe fora o ótimo ESDM e suas variações (como JASPER). Existem várias práticas baseadas em evidência (evidence based practices, ou EBP), estudadas há décadas e que, para algumas crianças, são mais efetivas do que os métodos naturalistas. Existe um documento, periodicamente atualizado,…

Denver não é para todo mundo

Eu sou abertamente fã do método Denver de estimulação precoce. Bem conduzido, acho que ele é uma forma extremamente gentil e prazerosa de estimular a comunicação e a interação social, a reciprocidade social e habilidades básicas de comunicação e imitação – que precisam ser estimuladas de forma mais ostensiva ou sistemática em crianças no espectro…

Não basta falar

Uma das principais causas de atraso no diagnóstico de TEA é a criança falar. Nem sempre é fácil reconhecer que uma criança que fala tem um atraso de linguagem. A verdade é que existem várias diferenças entre uma criança que tem somente atraso na fala e uma criança com autismo. A principal delas – nem…

O TDAH e as emoções

Sim, é verdade que o TDAH (transtorno de déficit de atenção/hiperatividade) é caracterizado por: dificuldades atencionais: prestar atenção (manter o foco, a concentração) e alta distratibilidade (por estímulos externos, p.ex., passarinho na janela, e por estímulos internos, p.ex. divagação do pensamento) Ao não inibir suas primeiras reações a uma situação, as crianças com TDAH não…

E se meu filho for autista?

Quase que por acaso, enquanto trabalhava na revisão técnica de um livro, descobri este texto. Confesso que não o conhecia, embora pesquisando me parece que hoje ele é um texto bastante famoso. Foi escrito em 1987 por Emily Perl Kingsley e chama-se “Bem-vindo à Holanda”. É um relato extremamente singelo e, ao mesmo tempo, profundamente…

Violência terapêutica

Eu não acredito que qualquer criança deva ser forçada a fazer terapia. Ponto. Eu não acredito que todo comportamento de fuga, escape, evitação deva ser corrigido – pelo menos não antes de ter sido propriamente analisado. E por propriamente analisado não me refiro a dizer “ah, ele está gritando e se atirando no chão por…

O falso autista

Felizmente, os pais têm procurado cada vez mais cedo avaliação e diagnóstico para as crianças que apresentam alguma alteração no desenvolvimento. Quando a criança já é maior, tem mais de 3 anos, o diagnóstico de TEA (ou não TEA) costuma ser simples ao olho treinado e à escuta atenta. Quando a criança é bem pequena,…