Autismo – 9 sinais de alerta

Quem me conhece sabe que há muitos anos, mesmo antes de ser médica, eu já era uma apaixonada por questões de desenvolvimento infantil. Depois que virei pediatra e neuropediatra e mãe (a melhor escola!), me apaixonei ainda mais por esse universo, que é fascinante tanto na saúde quanto na doença. O autismo é uma condição…

Meu filho vai falar?

Uma das perguntas – talvez A pergunta – que mais angustia os pais de crianças com diagnóstico recente de autismo é se o filho vai ou não falar. Estudos longitudinais, que acompanharam conjuntos de crianças com TEA ao longo de vários anos, nos dão algumas pistas para essa resposta. Ainda que seja impossível prever com…

O melhor tratamento do autismo

Spoiler: ninguém sabe qual “o melhor” tratamento. Se é que existe um. Existem poucos estudos, raros até, que comparem 1 contra 1 duas modalidades de tratamento do TEA. Quando essa comparação é feita, geralmente o resultado não mostra diferença significativa no resultado entre os grupos de tratamentos; ou seja, quem recebeu o tratamento A (digamos,…

Síndrome de Asperger

Não é porque os sistemas classificatórios internacionais de doenças (DSM e a CID) aboliram os subtipos e subgrupos de “autismos” que devemos esquecer completamente alguns desses grupos bem caracterizados ao longo de décadas de estudos e pesquisas clínicas. É verdade que, hoje, formalmente, existe apenas o “espectro” – todo indivíduo com sintomas de autismo (leves…

Por onde começar?

A regra número um é descubra o que deixa seu filho feliz. A imensa maioria das crianças vai abrir um sorriso com alguma atividade social-sensorial, uma brincadeira prazerosa envolvendo duas (ou mais) pessoas de forma conjunta, tipicamente sem o uso de objetos. Exemplos incluem brincadeiras no colo (cavalinho, deitar cabeça para trás, abrir as pernas…

Estereotipias – o que fazer com elas?

Estereotipias são uma forma de comportamento repetitivo muito comum em crianças no espectro autista. São movimentos repetitivos do corpo ou das mãos, aparentemente sem propósito, e que não causam risco à criança ou a quem convive com ela (diferentemente dos comportamentos chamados auto-lesivos). Mas então qual o problema com as estereotipias? Devo deixar ou não…